TPM: A inclusão de pessoas com deficiência na sociedade 

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 23,9% da população brasileira possui algum tipo de deficiência

Em comemoração ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência que ocorreu no último dia 3, não poderíamos deixar de falar sobre a inclusão de pessoas deficientes na sociedade e alertar a respeito da acessibilidade.

A data criada pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em 1992, é comemorada anualmente e promove o conhecimento e mobilização da população sobre deficiências, defendendo os direitos e bem estar dessas pessoas.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 23,9% da população brasileira possui algum tipo de deficiência (seja ela psíquica, fisiológica ou anatômica) e vivenciam diversas desigualdades que as levam a ter uma qualidade de vida menor que a maioria.

Afinal, o que é uma pessoa com deficiência?

A Lei Brasileira de Inclusão, artº 2, considera pessoa com deficiência aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

Como está a situação dos deficientes no Brasil?

Dados do IBGE apontam que a deficiência visual e motora está em maior número no país, seguido pela deficiência auditiva e mental/intelectual.

Na nossa Constituição, a Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000, cuida das normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou mobilidade reduzida. Em relação ao transporte coletivo, o IBGE constatou que apenas 11,7% dos ônibus intermunicipais possuem a frota totalmente adaptada para quem tem dificuldade em se mover.

No âmbito profissional, maioria ainda tem muita dificuldade em conseguir um emprego. Apesar da Lei de Cotas para Deficientes estar em vigor há 28 anos, somente 0,9% das pessoas com deficiência possuem carteira assinada, porém a expectativa do Ministério da Economia é que o número cresça nos próximos anos.

O Censo Escolar da Educação Básica de 2018, feito pelo INEP, declarou que o acesso de pessoas com deficiência nas escolas é de 90,9%, mas nem todas são adequadas para receber os alunos com necessidades especiais, por falta de estrutura ou até mesmo de professores especializados.

Apesar dos números, a inclusão e acessibilidade aos deficientes está cada vez maior e em desenvolvimento, devido às políticas públicas, leis e movimentos de conscientização, que ajudam essas pessoas a se sentirem inseridas na sociedade e capacitadas a realizar as mais diversas atividades.

Texto: Elisa Costa | Ascom Mulheres Republicanas

Foto: Freepik

 

 

 

Envie seu material para a nacional do Mulheres Republicanas,  através do e-mail pautas@mulheresrepublicanas10.org.br .  Conte pra gente as ações que as republicanas, estão realizando em sua região, será interessante divulgar essas atuações no nosso portal.