Toda vida importa

Olá, republicanas!

Hoje venho aqui falar de um assunto tristíssimo para todos nós brasileiros: o assassinato de pessoas negras. Neste final de semana, oito jovens morreram após uma ação policial em Paraisópolis, comunidade de São Paulo. O que eu quero relevar nessa história são os dados que nos assustam cada vez mais.

Recentemente o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou que a população negra tem 2,7 mais chances de ser vítima de assassinato do que os brancos. Os dados constam no informativo Desigualdades Sociais por Cor ou Raça no Brasil. Está lá, para qualquer pessoa que não queira enxergar, ver qual a nossa realidade.

A taxa de homicídios de pessoas pretas e pardas aumentou em todas as faixas etárias. De acordo com dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, foram registradas 255 mil mortes de pessoas negras por assassinato nos seis anos analisados.

O fato é que neste ano tivemos perdas irreparáveis. Quem não se lembra da menina de 8 anos, Ágatha Vitória Sales Felix, que foi morta no Complexo do Alemão? Dessa vez, mais oito famílias choram não somente pela dor da desigualdade, mas pela dor, também, de perder seus filhos, netos, amigos e companheiros.

Os dados são alarmantes, mas é preciso que a morte de negros não seja só um número para a população e autoridades. É necessário entender que o ciclo da violência precisa ter fim. Afinal, toda vida importa!

 

Rosangela Gomes

Deputada Federal (Republicanos-RJ)

Secretária Nacional das Mulheres Republicanas

 

Envie seu material para a nacional do movimento das Mulheres Republicanas,  através do e-mail pautas@mulheresrepublicanas10.org.br   Conte pra gente as ações que as republicanas, estão realizando em região, será interessante divulgar essas atuações no nosso portal.