Opinião: O papel da Mulher Indígena perante sua comunidade

O Dia Internacional dos Povos Indígenas, comemorado, hoje (9), foi criado no intuito de promover o reconhecimento e visibilidade das contribuições culturais e tradições que os diferentes povos indígenas tiveram nas diversas nações ao redor do mundo.

Nesse dia, é muito importante colocar à tona o protagonismo da mulher indígena em funções às quais elas desempenham milenarmente e conquistas que os diversos povos tiveram na participação da mulher em posições decisivas no cotidiano das aldeias, vilas e povoados.

É importante ressaltar que cada povo, etnia, possui sua própria cosmovisão sobre o papel da mulher e os limites aos quais esse papel pode ser exercido, assim como acontece com o papel dos homens e até mesmo das crianças dentro de uma aldeia.

Em conversa com Elineia Terena, indígena da etnia Terena, nascida e criada no estado do Mato Grosso do Sul, pude ver o quanto, segundo ela, as mulheres Terenas ganharam espaços em áreas profissionais e qualificação. “Atualmente as mulheres indígenas Terenas, estão estudando mais, buscando aperfeiçoamento profissional e principalmente acadêmico. Há mulheres que se casaram muito novas e portanto tiveram filhos muito jovens. Mas, felizmente,  perceberam a importância de buscar sua independência financeira e lutar por uma vida mais digna. De uns anos pra cá, as mulheres começaram a se destacar entre as lideranças indígenas, pois a tempos atrás, eram impedidas, pois somente o homem poderia representar seu povo. Hoje, temos mulheres caciques de aldeias, mulheres que fazem parte do conselho tribal da aldeia e aos poucos estão rede conquistando seu espaço e a sua voz está sendo ouvida e respeitada” declara Elineia.

Porém, nem todas as etnias indígenas tem a mesma visão sobre os limites do papel da mulher em uma sociedade indígena. É o caso de Kayna Munduruku, indígena tradicional, nascida nos chamados povos da floresta amazônica, que vivem em condição pré-aldeia, onde as famílias são isoladas umas das outras, não havendo uma estrutura social grupal, tal qual como acontece nas aldeias. Segundo Kayna, é importante que as mulheres conquistem seu espaço, mas há uma linha tênue entre essa conquista e o passar por cima do papel do homem de representação dentro da comunidade, e segundo ela, esse papel é muitas vezes desrespeitado de maneira truculenta e impositiva.

Diante dessas reflexões, podemos analisar que embora tenhamos uma diversidade étnica indígena muito grande no Brasil, e os nossos irmãos tenham visões de mundo diferentes sobre os mesmos assuntos, há sempre a união para que se busque mais respeito por essas comunidade levando em conta as especificidades de cada um desses cidadãos originários desta terra que hoje chamamos de Brasil.

Autora: Desire Queiroz

Coordenadora Estadual do PRB Mulher no MS

Conselheira Nacional da Juventude

Envie seu material para o PRB Mulher Nacional pelo e-mail mulherempauta@prbmulher10.com.br. Conte pra gente as ações que as republicanas do PRB estão realizando em sua cidade, será interessante divulgar essas atuações no portal.